O mundo namora o café – SIC 2018

O mundo namora o café

Quanto mais o café faz sucesso no mundo, mais qualidade, cultura e história chegam à xícara dos consumidores. Prova vem da Semana Internacional do Café (SIC), iniciativa anual que reúne toda a cadeia produtiva do setor cafeeiro nacional e internacional na capital de Minas Gerais, o maior produtor brasileiro. A última edição, realizada entre 7 a 9 de novembro, reuniu cafeicultores, torrefadores, classificadores, exportadores, compradores, fornecedores, empresários, baristas, proprietários de cafeterias e coffee lovers, provando o crescimento da cultura do grão em todas as instâncias.  

Com mais de 25 eventos simultâneos focados nas áreas de mercado e consumo, conhecimento e inovação, negócios e empreendedorismo, a feira reuniu 160 expositores e sugere que o mercado está mais interessado no café que nunca. Se fosse um namoro, o status seria em um relacionamento sério. Isso por que o surgimento dos cafés especiais está ampliando a relação entre o produto e o mercado para além da conhecida lei comercial entre oferta e demanda. Em evolução, a cadeia abrange segmentos que despontam e crescem a passos largos, como a oferta de grãos especiais.

Novo status

barista

Com a efervescência da cultura do café especial, o grão que já era chamado ouro negro mudou de padrão. Ganhou status especial a partir do desenvolvimentos de métodos de produção que elevam a qualidade desde o plantio até a oferta na gôndola, e vem caindo de vez no gosto do consumidor brasileiro e de outras partes do mundo. Até da China: o país que tem tradição milenar no consumo de chá vem adotando o café como bebida queridinha e, segundo dados da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), deve se transformar no maior importador do grão do mundo.

O Brasil deve colher ao redor de 58 milhões de sacas, dos quais 53% de café produzido em Minas Gerais, de acordo com estimativas da Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg).

Você neste cenário

Maior produtor de café do mundo, o Brasil quer manter a majestade. Para tanto, a cadeia de produção nacional está cada vez mais atenta à demanda por qualidade. Quem ganha é o consumidor final, que também está descobrindo que o café vai muito além da bebida que acompanha ou reforça o desjejum.

Uma ideia deste cenário pode ser observada nos campeonatos de baristas; profissão que ajuda a divulgar as inúmeras possibilidades sensoriais da bebida. A feira internacional, por exemplo, contou com apresentações e disputas mundiais:

World Coffee in Good Spirits Championship (drinques alcoólicos com café); World Latte Art Championship (desenho no café com leite); World Brewers Cup (preparo de café), e; World Cup Tasters Championship (prova de café).

cupping

Os campeonatos foram organizados pela World Coffee Events e com o National Body da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA).

Também há mesas de prova de café e concursos que reúnem amostras dos melhores grãos colhidos na nova safra; O Coffee of The Year – que premia as espécies arábica e robusta. Além dos mundiais, uma das principais ações do evento foi promover as regiões produtoras de Minas Gerais e do Brasil.  “Organizamos no Brasil uma enorme conexão entre os elos da cadeia cafeeira. Um momento incrível para expandir as oportunidades de fazer negócios de uma forma diferente, que só acontece em um país produtor como o Brasil”. É o que destaca Priscilla Lins, gerente de agronegócios do Sebrae Minas, um dos organizadores do evento.

Fique por dentro

A u.Coffee acompanhou a Feira Internacional do Café e vai contar aqui, ao longo de outros posts, histórias sobre produções limitadas, o efeito do terroir na xícara, como decifrar a embalagem de um café especial e muito mais.

O evento dura três dias, mas é só um exemplo da expansão do mercado do café, que está rompendo fronteiras. “O Brasil é o maior produtor mundial de café. Somente das lavouras mineiras, sai 1 de cada 5 xícaras de café consumidas no mundo. Tem grande importância histórica, social e econômica. Além da quantidade, o país é reconhecido mundialmente como produtor de cafés de alta qualidade, com muitas origens e sabores”; explica Roberto Simões, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), entidade realizadora da SIC.

Confira na galeria de fotos um gostinho do que rolou por lá. E programe-se para a próxima edição, de 20 a 22 de novembro de 2019. Um programa que é, sem dúvida, a cara dos coffee lovers, que não param de aparecer e crescer por aqui.

Saiba mais

A Copa do Mundo dos Cafés

 Os campeonatos mundiais são organizados pela World Coffee Events (WCE), entidade ligada à Associação de Cafés Especiais. O principal objetivo dos eventos é agregar a comunidade internacional apaixonada pelo café; além disso, também mostra como o mercado tem profissionais diferenciados no preparo da bebida mais consumida no mundo. “A conquista do país-sede de quatro mundiais é fruto de uma combinação de diversos fatores presentes na Semana Internacional do Café: conexão entre todos os elos do setor, diversidade de públicos nacionais e internacionais, amadurecimento do mercado interno e relevância no incentivo a novos negócios de café especial. Para nós é uma grande oportunidade”, aponta Caio Alonso Fontes, diretor da Café Editora – um dos idealizadores da SIC.  

Inéditos no país, os Campeonatos Mundiais de Café realizados atraíram milhares de visitantes internacionais e centenas de competidores premiados. Representantes de 40 países se enfrentaram no preparo e na prova da bebida, em quatro mundiais.

Conheça:

campeonato mundialO World Latte Art Championship é o desenho no café com leite, habilidade que o barista (profissional que extrai o café) realiza em xícaras para juízes bem criteriosos na avaliação visual.

O World Coffee in Good Spirits Championship é o preparo do café com drinques alcoólicos e outros ingredientes que harmonizam com a bebida quente ou fria. O mais famoso deles, o Irish Coffee.

O World Brewers Cup  é a avaliação da performance do barista ao preparar café em método filtrado de sua escolha, assim como o grão usado na competição e o resultado surpreendente de sabor na xícara.

O Cup Tasters é o campeonato destinado aos provadores de café. Ao competidor é necessário acertar qual é o único café diferente dentre 3 amostras. Após várias rodadas, quem adivinha em menos tempo oito combinações – e erra menos – é o grande vencedor.

O que você achou desse post?
  • Ótimo (0)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *