Café coado perfeito: saiba como fazer em 6 passos infalíveis

6 passos para o Café Coado perfeito

Você já se perguntou por que o café coado costuma ser o preferido? E sabe que, mesmo em casa, é possível preparar o melhor que você já provou?

Pois na próxima visita a uma cafeteria, questione o barista sobre a popularidade do método. Sim, preparar a bebida por infusão no tradicional coador – de papel ou de pano – ainda é a forma mais gostosa de consumir o líquido negro.

Aqui, você vai descobrir como preparar um café coado perfeito no lar doce lar, sem drama. Uma tarefa fácil, que leva poucos minutos e resulta em uma experiência de xícara cada vez melhor!

Métodos de preparo do café coado

Felipe BrazzaSegundo o barista Felipe Brazza, o método coado por filtro de papel ou pano é o preferido da maioria dos consumidores por resultar em uma bebida harmônica. Ou seja, com presença equilibrada de sabores e notas do café. Para um preparo perfeito, a equação envolve a escolha de um café de qualidade e da moagem correta, além de alguns cuidados. A qualidade e a temperatura da água, o tempo em que passa pelo pó e outras dicas simples.

Alguns minutos e pronto, você vai provar uma experiência saborosa e que pode ser repetida indefinidamente, a qualquer momento e hora do dia. “É o meu método preferido, e consumo praticamente aos baldes”, confessa Felipe Brazza, barista, produtor de café e mestre de torra. Sim, a explosão da terceira onda do café mostra que há várias possibilidades de preparar um café coado por infusão.

Exemplos são:

  • Hario V60:  Com jeito de coador tradicional, o diferencial da peça de design elaborado é a estrutura interna. Com ranhuras em espiral seguindo a angulação do vértice de 60 graus,  formato cônico que amplia o tempo de contato entre a água e o pó e abertura grande na base. A velocidade de extração é controlada o que resulta em uma bebida limpa e saborosa.
  • Chemex: O design deste coador em vidro reconhecido como genial faz o café sem nenhum traço de amargor. Também possui um apoio de madeira, preso através de um cordão de couro. Segundo especialistas, o café preparado com esse equipamento fica mais leve e livre de resíduos.
  • Clever: De plástico ou cerâmica, o diferencial desse porta filtros é o princípio da imersão total para extração de café. Isso significa que o pó fica imerso por dois minutos ou mais no lugar de descer sem maiores obstáculos pelo filtro. Quem controla o fluxo da infusão é o barista.

Existem muitas maneiras diferentes de se preparar um bom café coado, para saber mais confira nosso artigo sobre métodos de preparo que fazem uso de coador.

Mas é mesmo o método tradicional – com coador de papel ou de pano -, o mais popular, querido e de fácil acesso. Com as dicas desse post, você vai aprender a preparar o melhor café coado do mundo na sua casa. Vamos lá?

Características únicas de um café extraído em coador

Você pode se perguntar: o que o café coado tradicional tem de tão especial?

Em comparação ao espresso, por exemplo, trata-se de uma bebida mais equilibrada. Justamente por trazer igualdade na percepção sensorial relativa a sabor, doçura, acidez, corpo e finalização. Na boca, soa como música clássica e não como heavy metal, entende?

Isso não tem a ver com a quantidade de cafeína extraída no processo; mas sim com o fato de todas as propriedades originais do grão serem extraídas igualmente. “Passar o café no coador tradicional resulta em uma bebida mais equilibrada. Por isso é tão apropriada no dia a dia, ideal para consumo em qualquer momento. Diferentemente do espresso, que é intenso. Passar um café no coador é a forma mais prática de ressaltar características como corpo, doçura e acidez com equilíbrio”, sintetiza Felipe.

6 passos para preparar o café coado

Claro, há seis etapas que devem ser seguidas no preparo de um café coado em filtro tradicional para que a bebida ganhe todas as características citadas acima, de sabor excepcional. Vejamos quais são e como chegar lá.

Passo 1 – Escolha o seu café ideal

Já falamos aqui sobre a diferença entre um café de qualidade superior e um café mediano, comercial, aquele encontrado na gôndola de qualquer supermercado.

Basicamente, o café especial, 100% arábica, é um produto bem cuidado desde o plantio até a entrega ao consumidor final. Envolve uma cadeia rastreável, cultivo de terroir específico (características como altitude e clima são essenciais), colheita e beneficiamento manual. Torras desenvolvidas para extrair o melhor das características do grão. Ausência de defeitos e impurezas, avaliação superior a 80 pontos nas provas internacionais de avaliação.

Tais características são expressas na embalagem, que também é desenvolvida para preservá-las ao máximo. Na boca, significa que o consumidor terá acesso a um produto de extrema qualidade, em que é possível identificar sabor e notas gustativas. Muitas vezes, para não dizer em todas, dispensa até mesmo o uso de açúcar.

Já o café inferior não tem nenhuma especificação de origem. É produzido em larga escala e em processos industrializados. Geralmente chega ao consumidor já moído (e, portanto, misturado a gravetos e impurezas, e em processo de oxidação) e ultra torrado (processo que esconde defeitos, além de padronizar o sabor).

Portanto, passo fundamental para preparar o melhor café coado do mundo é usar um café de qualidade. Na dúvida? Ajudamos você, de acordo com as características ideais para agradar ao seu paladar, a como escolher seu café especial.

Passo 2 – A moagem ideal para o filtro de papel

Outra característica dos cafés de qualidade é privilegiar a oferta em grãos. Nas cafeterias e empórios, o produto é moído em granulometria definida pelo consumidor, de acordo com a preferência pelo método de preparo específico. Isso para preservar ao máximo as propriedades sensoriais do fruto e garantir frescor à bebida, já que o grão começa a oxidar assim que é torrado e moído.

Para o filtro de pano ou de papel, o barista Felipe Brazza indica a moagem de granulometria média, que lembra grãos de areia ou a textura do açúcar demerara. “Não é uma moagem tão fina, para extrair tanto como no café espresso ou no café turco, pois no filtro de papel ou de pano levaria muito amargor à bebida. E nem tão grossa, devido ao tempo da passagem da água, que é relativamente rápido”, ensina.

O barista reforça: se você tiver um moedor em casa, melhor ainda. Se não, pode tentar improvisar com um mixer ou liquidificador. “Sempre o mais indicado é comprar o café em grão e moer apenas na hora do preparo. Isso evita a volatização de propriedades, preserva aroma e sabor, potencializa a experiência de xícara”, lembra.

Passo 3 – Entenda a questão da água

Antes de começar, é preciso falar da qualidade da água. “Muitos usam água de torneira por pensar que a temperatura de Coado na Chemexebulição mata impurezas. Mas o problema aqui é o cloro, que não sai na fervura e, em contato com o café, destrói suas partículas aromáticas. Portanto, só use água filtrada ou mineral no preparo do café coado”, frisa Felipe Brazza.

A temperatura também é ponto-chave. “A água deve ferver, fazer bolhas grandes. O café deve ser passado com a temperatura em 95 ou 96 graus, nunca abaixo de 90. Por ser hidrossolúvel, as moléculas do café são quebradas pelas moléculas de água e é o calor o responsável por extrair as propriedades do café”.  

Passo 4 –  Escalde o filtro antes do preparo

Agora sim, podemos falar de uma outra dica de ouro no preparo do café coado tradicional: escaldar o filtro. “Basta entornar a água em toda a extensão do coador, principalmente o de papel. O processo objetiva retirar o sabor de celulose do filtro e ajuda na extração de um café mais puro”.

Vale uma ressalva: Felipe não indica o uso de coador de pano. “Os óleos de cafés anteriores ficam preservados no coador de pano, o que interfere no sabor. Aliás, a recomendação é para troca do filtro de pano a cada dois dias, mas ninguém faz isso. Portanto, prefiro não indicar”.

O barista lembra ainda que o material do coador de pano é grande fonte de bactérias, “que resistem até mesmo a lava vulcânica”, brinca. Ou seja, “não morrem em contato com a água fervida”.

Passo 5 – A proporção perfeita entre água e pó

Na dúvida entre a quantidade de pó por volume de água? A dica é simples: basta aplicar a proporção de 10 para 1 (10/1), ou seja, de 10g a 12g de café (ou uma colher de sopa mais ou menos generosa) para cada 100ml de água. Para mais quantidade, basta repetir a regra. E lembre-se de usar a moagem de granulagem média!

Café Coado tradicionalPasso 6 – Pré-infusão e infusão: passe o café da maneira correta

A água ferveu em bolhas grandes e temperatura ideal? Agora o lance é se deter por 30 segundos na pré-infusão. Para tanto, você vai hidratar o pó jorrando uma pequena quantidade de água por cima (apenas até cobrir), esperar escoar e só então passar o restante. Ah, executar pequenos movimentos circulares concentrados no centro da borra enquanto despeja a água é outra dica para finalizar perfeitamente. E está pronto o melhor café coado que você já preparou em toda a sua vida!

Para uma experiência 100%, a última dica é consumir o café coado ainda fresco. Mesmo que faça uma quantidade maior, procure servir no intervalo máximo de 1h, já que o café oxida quando pronto. Afinal, estamos falando de um café coado perfeito!

Conclusão

Como você viu, basta a escolha de um café de qualidade superior e alguns cuidados para transformar o preparo do café coado tradicional em uma experiência deliciosa. Agora que descobriu o passo a passo, lançamos um desafio: na próxima vez que preparar a bebida, conte pra gente o que achou!

Para saber mais sobre o universo dos cafés especiais e os diversos métodos de preparo da bebida acesse nosso Guia Completo para Iniciantes no Mundo dos Cafés Especiais. Venha conosco nessa jornada de descobertas e aumente seu prazer degustando os melhores cafés do mercado. Saúde!    

O que você achou desse post?
  • Ótimo (1)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *