Café arábica: o que é, variedades e características

Você, que ama café e vive buscando por novas experiências e sabores, sabia que sua bebida predileta tem suas origens em diferentes tipos de plantas? Estamos falando da Coffea arabica e da Coffea canephora, que resultam nos cafés arábica e robusta (ou Conilon).

O café arábica, de altíssimo conceito, é apontado como responsável pelos melhores cafés do mundo. É muito interessante saber que, dentro dessa categoria, temos incontáveis variedades e subvariedades de café!

Quer saber mais sobre o Arábica, suas variedades e características? Continue com a gente nessa jornada de conhecimento!

O que é café arábica?

Originário da Etiópia e cultivado pelo mundo todo, o arábica foi uma das primeiras espécies de café a ser produzida. Este nome, “arábica”, se deve muito provavelmente ao fato da Arábia ter sido responsável pela propagação da cultura do café.

O Arábica se caracteriza por produzir cafés mais finos e requintados. São plantados a altitudes superiores a 800 m, consideradas ideias para a produção de cafés de qualidade superior. Seu aroma é intenso e os sabores são bastante variados, bem como níveis de corpo e acidez.

Esse tipo de café costuma passar por cuidados minuciosos desde a lavoura até o ensacamento. Isso resulta num café com notas complexas e maior valor de mercado. No Brasil, a produção de arábica está centralizada em Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Bahia; o Espírito Santo, embora também produza arábica em menor quantidade, acompanha Roraima como produtor do café robusta.

Robusta x Arabica

Quais são as diferenças entre Arábica e Robusta?

Embora resultem na mesma bebida, as duas espécies de planta de café são bastante diferentes. Ambas crescem nas zonas tropicais da Ásia, África e América. As principais diferenças entre os dois tipos de café estão nos seguintes pontos:

 Arábica                                                                                           Robusta
Espécie Coffea arabica Coffea canephora
Cafeína 0,8-1,4% 1,7-4%
Teor de Açúcar 6-9% 3-7%
Teor de óleos essenciais 15-17% 10-12%
Características sensoriais (sabor, aroma, acidez, corpo) Sabores e aromas distintos, adocicados e suaves. Maior nível de acidez. Sabor e aroma constantes; amargos e marcantes. Corpo intenso.
Altitude 800m a 1.400m – pede temperaturas mais amenas para se desenvolver melhor. Até 800 m – pede por um ambiente mais quente e úmido para se desenvolver melhor.
Formato do grão Oval Arredondado
Lavoura Plantas sensíveis e mais sujeitas a pragas e intempéries devido ao formato triangular. Exigem mais cuidados para garantir a qualidade dos grãos. Plantas resistentes e de característica mais rústica. Florescem mais de uma vez por ano, crescem mais rápido e tem maior resistência a parasitas.
Colheita É seletiva e, geralmente, manual. Quando mecanizada, passa por beneficiamento para seleção dos grãos. Não é seletiva e há mistura de grãos verdes e maduros, gravetos, cascas e outros grãos com imperfeições/defeitos.
Preço médio (R$) R$ 50/kg R$ 20/kg

Tipos de café arábica

A espécie arábica se divide em inúmeras variedades. Não é à toa que ele é responsável por cerca de três quartos da produção mundial da bebida! É importante destacar que um café, para ser considerado especial, deve ser constituído de grãos 100% arábica. Cada uma delas se destaca por suas características sensoriais, e temos várias sendo produzidas aqui no Brasil. Confira algumas dessas variedades:

Bourbon

Esta variedade se divide em duas: Bourbon Vermelho e Bourbon Amarelo. Trata-se de uma das mais famosas, exclusivas e procuradas do mercado de cafés especiais. A variedade Bourbon é marcada pelo aroma de intensidade maior, sabor adocicado e uma textura achocolatada e suave.

O solo, clima, altitude e processos de secagem são fundamentais para maximizar todas as suas características. É um café que requer atenção, cuidado e conhecimento.

Catuaí

Outra variedade que apresenta subdivisões: você pode encontrar Catuaís Vermelhos e Amarelos no mercado. A principal diferença entre os dois é que o Catuaí Amarelo é menos encorpado; um blend entre as duas subvariedades pode apresentar resultado satisfatório.

O café de acidez média pode ser considerado leve e suave, e o aroma é adocicado. Sua doçura natural é decorrente da intensa absorção dos açúcares naturais do fruto pelo grão. Isso ocorre por causa do processo de maturação, e permite que a bebida seja apreciada sem necessidade de adição de açúcar. O café, que pode ser considerado rústico, é amplamente cultivado aqui no Brasil.

Catucaí

Resultado do cruzamento das variedades Icatu e Catuaí, a variedade Catucaí é mais uma que se divide em Vermelho e Amarelo. Semelhante ao Catuaí, a bebida de um café dessa variedade também apresenta doçura natural. Suave e de acidez média, o café apresenta também sabor cítrico e frutado.

O aroma marcante é mais uma característica do café de alta qualidade, que pode ser também utilizado para blends por ser bem encorpado.

Mundo Novo

A variedade Mundo Novo resulta em cafés extremamente saborosos e de altíssima qualidade, sendo assim muito requisitados. Presente principalmente em Minas Gerais e São Paulo, o café exige cuidados especiais em seu plantio por ser propenso à ferrugem.

As 3 floradas garantem ao fruto boa uniformidade de maturação, além de diminuir a quantidade de grãos verdes obtidos na colheita. A bebida resultante tem sabor marcante e aroma suave, e o café é utilizado para várias receitas e drinks.

Topázio

Muito encontrado em Minas Gerais, a variedade Topázio é o cruzamento entre as variedades Mundo Novo e Catuaí Amarelo. Seu cultivo é estável por conta do grande poder de adaptabilidade do grão. O resultado disso são plantações abundantes e de alta qualidade!

Trata-se de um café bastante saboroso e se sabor suave e complexo. Conta com um aroma intenso e cítrico e finalização agradável. É um café muito utilizado para cafés gelados.

Icatu

O Icatu Vermelho é um híbrido entre o Robusta, Mundo Novo e Bourbon Vermelho; mais tarde, foi cruzado com Mundo Novo e Bourbon Amarelo e resultou no Icatu Amarelo. Trata-se de um cultivar resistente à ferrugem e de alta produtividade.

Cafés dessa variedade podem apresentar aromas florais e cítricos, bem como uma destacada acidez cítrica. Seu sabor costuma destacar caramelo.

Acaiá

“Acaiá” significa “frutos de sementes grandes” em tupi-guarani. Essa variedade possui excelente produtividade e pode harmonizar bem com grãos Bourbon por seu sabor forte e corpo intenso.

Suave e sofisticado, o café da variedade Acaiá apresenta notas aromáticas frutadas, sabor achocolatado e acidez média.

O que são blends?

“Blend” nada mais é do que uma mistura ou combinação. No universo dos cafés, de uma forma geral, esse tipo de atividade é muito comum. Existem tipos diferentes de blends, sendo eles:

Blend de diferentes espécies

É a mistura entre grãos Robusta e Arábica. Enquanto os grãos arábica entram conferindo sabor e aroma, os grãos conilon entram com corpo e amargor. Assim, essa pode ser uma mistura extremamente interessante, já que ambos os tipos de grão se complementam. Não estamos tratando aqui, no entanto, dos blends desse tipo realizados nos cafés tradicionais ou para commodities; tais combinações não atendem ao mercado de cafés especiais ou de qualidade superior.

Blend de diferentes variedades

É caracterizada pela combinação entre duas variedades diferentes, como Catuaí Vermelho e Bourbon Amarelo. Nesse exemplo em específico, o café resultante é relativamente encorpado e apresenta notas frutadas, além de acidez e chocolate. Há ainda a doçura natural das duas variedades, que se complementa no sabor.

Blend de diferentes subvariedades

Trata-se da mistura entre dois cafés da mesma variedade, mas com diferentes subvariedades. Um exemplo desse tipo de blend é a mistura entre Catuaí Vermelho e Catuaí Amarelo; o resultado é um café suave, de acidez média e sabor adocicado. O corpo, embora leve, é reforçado pelo Catuaí Vermelho. É uma mistura equilibrada e agradável ao paladar.

Blend de diferentes regiões

Ocorre na mistura de dois cafés produzidos em dois locais diferentes, independente de sua variedade. Um blend entre cafés do Cerrado Mineiro e das Montanhas do Espírito Santo exemplifica bem esse tipo de combinação. Nesse caso, o terroir faz uma grande diferença no resultado final.

Blend de diferentes processos pós-colheita

Pode acontecer inclusive com duas “porções” de um mesmo café. É a mistura entre grãos que passam por processamentos diferentes; pode ser, por exemplo, parte cereja descascado (quando se tira a casca da cereja, ou seja, fruto do café) e parte processamento natural.

Existem diferentes razões para se produzir blends. Normalmente, o objetivo é alcançar sabores e aromas mais complexos e equilibrados ou ressaltar características marcantes. Um blend pode se tornar também um produto único e exclusivo, já que combina diferentes tipos de sabor, aroma, doçura, acidez e amargor. Essas combinações personalizadas tem sempre um toque de surpresa!

Cada mistura depende exclusivamente das preferências e propósitos do especialista responsável. Mesmo assim, o objetivo comum é criar um produto mais rico em suas propriedades, seja juntando os grãos antes ou depois da torra.

É importante ressaltar que, embora cafés saborizados possam ser encontrados no mercado como blends, muitos não o são; trata-se de cafés acrescidos de nozes, amêndoas, castanhas, cacau ou baunilha. Apenas são chamados de blends cafés cuja combinação é entre dois cafés, conforme tipos relacionados acima.

Agora que você já sabe tanto sobre o café arábica, suas variedades e blends, o que acha de experimentar nossa Ferramenta de Indicação de Cafés Especiais e descobrir qual é o café mais adequado para o seu gosto? Não deixe de observar quais são as suas variedades favoritas!

O que você achou desse post?
  • Ótimo (2)
  • Útil (4)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *