Kalita Wave: conheça o método e aprenda a preparar a bebida

Kalita Wave

Com um quê de clássica e charmosa, além de super versátil, a Kalita Wave promete surpreender seu paladar. A cafeteira criada em 1958 é mais do que uma queridinha de baristas, é um dos melhores métodos para se extrair um bom café. E esse post é todo dedicado à ela. 

Então, siga com a gente para conhecer como se usa, vantagens, dicas de preparo e como fica o café feito na Kalita!

E o que é exatamente?

O Japão, como terceiro maior importador de café do mundo, é um berço de inovação na área. Foi lá que surgiu a Kalita Co., empresa familiar que é a principal concorrente da Hario. Essas duas organizações foram criadas na época de grande fama da tradicional Melitta e arrancaram com a Terceira Onda do Café.

O método Kalita Wave usa o design inteligente para unir a pureza de uma bebida filtrada com o corpo de um café em Filtro da Kalitainfusão. Vamos descrever a cafeteira e logo você verá o porquê disso:

  • O suporte para o filtro tem formato cônico, mas o fundo (por onde passa o café) é plano e tem três furos pequenos. Assim, os grãos ficam mais tempo em contato com a água quente antes que ela passe pelo filtro. Tem uma alça ao lado e um anel na parte de fora para que se apoie em uma xícara ou jarra.
  • O filtro de papel parece uma forminha de brigadeiro e tem 20 ondulações na borda. Por isso, a água desce de maneira uniforme e quase nem toca a “parede” interna do suporte.
  • E o ar que fica entre o suporte e o filtro faz com que o calor não se perca facilmente.

Você pode encontrar a Kalita Wave em dois tamanhos; o 155 faz uma xícara e o 185 faz de duas a três. Existem modelos em vidro, metal e cerâmica que, apesar de apresentarem o mesmo formato, influenciam o café de jeitos distintos:

Kalita de metal: Tem os furos mais alinhados, mantém bem o calor e é a mais resistente, porém pode passar um sabor metálico para a bebida com o tempo.

Kalita de vidro: é o modelo mais simples. Por ser de vidro, os furos podem não estar perfeitamente posicionados, e isso atrapalha a extração do café.

Kalita de cerâmica:  tem um elevação na base que direciona bem o fluxo de extração, é a que retém melhor o calor, dura muitos anos (se bem guardada), não interfere nada no sabor, tem mais consistência e controle na extração da bebida. 

Kalita Wave vs. Outros Métodos:

A anatomia dessa cafeteira é o que a faz única. 

Enquanto a Hario v60 tem um furo grande embaixo, o fundo da Kalita é plano e impede a água de passar de uma só vez. 

O fluxo passa devagar pelos três furos e, assim, o café fica um tempinho em infusão, permitindo que a água quente extraia melhor os óleos essenciais, aromas e sabores adquiridos na torra. 

A infusão que acontece na Kalita não é tão longa quanto na Prensa Francesa, na AeroPress ou na Clever, por isso o café não chega a ficar com o gosto amargo que pode acontecer nesses outros métodos. Só aproveita o melhor da infusão: destaca a doçura e a acidez natural!

A Kalita Wave também usa menos água por quantidade de pó que a Hario v60, o que resulta em uma bebida mais encorpada. Ainda por cima é um método que usa filtro de papel, que faz um café puro, sem interferências. Baristas chamam isso de “xícara limpa”. 

Para sair um café perfeito, o fluxo tem que ser bem controlado, o que faz com que a Kalita seja um pouco mais difícil de usar para quem é principiante. Mas, com paciência e prática, tudo é possível! 😀

Ela é indicada para alguém que quer aperfeiçoar habilidades e explorar um café excelente. E, falando com sinceridade… tem que se estar disposto a gastar mais também. Afinal, esses filtros não se compram em supermercados, e um pacote com 100 unidades sai entre R$70 e R$80. 

O conjunto completo sai entre R$200 e R$300, mas não se assuste. Métodos como este geralmente saem por aí mesmo… A gente garante que vale o custo-benefício!

E como se usa?

Antes de tudo, vale lembrar que você é livre para criar suas próprias receitas – experimentar diferentes grãos, quantidade de pó, de água… mas vamos usar 300 ml por 20g como referência. 

Ter uma balança e uma chaleira gooseneck (essas que têm um bico fino e alongado) ajuda bastante para extrair o café com o máximo de controle, mas se você não tiver não tem problema.

  1. Aqueça água a 96C. (Caso não tenha um medidor de temperatura, deixe ferver, desligue o fogo e espere 40 segundos.
  2. Acomode a Kalita na xícara ou no recipiente onde vai tomar o café e coloque um filtro dentro. Escalde esse conjunto, derramando um pouco da água quente. Isso é importante para tirar qualquer sabor residual de papel e manter o café quente por mais tempo. Jogue essa água fora.
  3. Coloque 20g de café (mais ou menos duas colheres de sopa) no filtro.
  4. Despeje um pouco de água no café e espere de 30 segundos a um minuto. Tente observar o efeito bloom, que acontece assim que a água entra em contato com os grãos. Eles se expandem, liberando bolhas de CO2 e um aroma maravilhoso.
  5. Depois comece a colocar mais água, fazendo movimentos circulares e uniformes em direção ao centro. Faça isso suavemente até derramar 150ml de água. 
  6. Quando o nível baixar um dedo, ponha mais água continuando os movimentos de antes. Pause, espere que baixe outra vez, ponha mais água… até que tenha colocado os 300ml.

Daí o café já está pronto! 

Todo o processo de extração deve durar de dois a três minutos, dependendo da moagem do seu café. Vale lembrar que, quanto mais recente a moagem, mais aparecerá o blooming. 

Para limpar, o ideal é lavar só com água e secar com um pano de microfibra, se quiser.

Dicas

  • Use uma moagem média, pois a granulometria fina demais fará com que o café demore a ser filtrado e a muito grossa não permitirá a extração de todo o sabor. 
  • Lembre-se: água fervendo pode queimar o café, e a fria não é capaz de extrair os óleos e aromas da torra. 
  • Preste atenção ao lugar onde guardar os filtros, para que não se amassem e percam as curvas.

De acordo com Lucas Borges, barista da cafeteria Intelligenza, “embora seja difícil de dominar, o método é consistente nas extrações e explora o grão de forma completa, trazendo os melhores atributos à tona.” 

Então, se você quer adquirir uma Kalita Wave, leve em conta sua disposição para se dedicar ao café no seu dia a dia. No mais, é um método lindo para qualquer ambiente e que vai te ajudar a conhecer muito mais do que você imagina sobre cafés especiais. Ah, e a dica mais importante: não adianta tem uma Kalita Wave e tomar um café ruim, não é?! Então, não deixe de conferir este post sobre as melhores marcas de cafés especiais e conte com a u.Coffee para continuar explorando a melhor bebida do mundo! 😀

O que você achou desse post?
  • Ótimo (2)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *