Blend de café: saiba o que é e o passo a passo para fazer o seu!

blend

O universo do café é infinito. Em cada xícara, grão e método de extração, há diversos sabores para experimentar e, como amante do café, com certeza você já sabe disso. Então, para te instigar ainda mais a explorar esse universo, vamos falar sobre blends de café!

Apesar de já existir há bastante tempo, esse termo vem se difundindo na cultura dos cafés especiais e você vai ouví-lo cada vez mais, então continue com a gente para saber exatamente o que é um blend, sua importância para o mercado e como fazer em casa sem precisar de nada complicado!

O que são blends?

O termo do inglês significa nada mais que “mistura”. Ou seja, blends são combinações planejadas de diversos grãos de café para criar um resultado na xícara do modo como desejar. Pode-se fazer essa mesclagem antes ou depois de torrar o café, mas teremos um tópico só pra isso mais a frente.

A verdade é que, no mercado de cafés, os blends já são feitos há muito tempo, especialmente entre cafés Arábica e Robusta (pra saber sobre as diferenças entre essas duas espécies de café, confira nosso post sobre café arábica). Isso porque o Arábica é um café com notas mais complexas, mais acidez e doçura, enquanto o Robusta é bem encorpado e rico em cafeína.

A mescla café Robusta + Arábica está presente entre os cafés commodity, uma vez que o Robusta é mais barato. São usados para fazer a maioria dos cafés solúveis, por exemplo. Ainda existe um certo “pé atrás” no mercado com os cafés mesclados, porém o que vamos mostrar é como blends enriquecem – e muito! – a bebida final.

Os cafés de origem única sempre terão seu lugar no mercado por carregar características exclusivas de seu terroir, mas os blends vêm se destacando como uma maneira super forte de criar a identidade de uma marca. Afinal, cada blend une cafés distintos criando um sabor novo e singular.  

Há vários tipos de blends, e vamos explicá-los aqui:

  • Blend de duas espécies: é o caso entre Arabica e Canephora (Robusta ou Conilon).
  • Variedades diferentes: a espécie Arábica possui dezenas variedades, e mesclá-las leva a resultados excelentes. É o caso de blends como Catuaí Vermelho+Mundo Novo, por exemplo.
  • Blend entre subvariedades: mescla entre Bourbon Vermelho e Bourbon Amarelo, por exemplo.
  • Blend entre outros terroir: usa grãos produzidos em diferentes regiões, ou seja, com distintas condições de solo, clima, irrigação etc. Ex: café das Matas de Minas e Mogiana Paulista.
  • Blend entre processos pós colheita: existem 3 maneiras de tratar os grãos assim que saem da lavoura. Há o processo Natural (deixa os grãos secarem ao sol naturalmente), Cereja Descascado (tira a casca antes de secar) e Lavado (ficam até dois dias de molho e vão para a secagem já sem polpa). Cada processo ressalta certas características na bebida final, como doçura, acidez ou notas florais.

E por que blendar cafés?

Resumindo, o objetivo de fazer blends é misturar as melhores características de cada café para criar bebidas equilibradas, encontrando empiricamente resultados exclusivos. Se parar pra pensar, isso tem tudo a ver com a 4ª Onda do Café! O futuro da nossa bebida aponta para a busca de experiências ímpares, ou seja, amantes do café têm cada vez mais conhecimento, acesso a métodos, grãos de todo tipo e uma vontade enorme de descobrir.

Toda a ciência por trás do grão tem se preocupado bastante com produção sustentável e de máxima qualidade do café, sendo que os blends surgem tanto como uma boa proposta de mercado (que agrega valor ao produto), quanto uma alternativa inteligente para usar melhor a produção.

Então sim: vamos blendar cafés, porque não nos cansamos de tentar, de inventar receitas, de procurar notas sensoriais complexas e de descobrir esse universo incrível!

Passo a passo para blendar cafés em casa

Nas cafeterias (as da 3ª Onda) e até em alguns supermercados, se encontra para comprar cafés especiais que já são blends, mas vamos te mostrar que fazer em casa não é difícil e é super interessante!

Tenha em conta que blendar em casa é sinônimo de eleger grãos ao seu gosto e planejar o resultado, é brincar de fazer ciência – ou seja, você também, eventualmente, terá que mudar toda a receita, pode errar nas medidas ou encontrar algo tão bom que nem estava esperando – e essa é a graça, tem que ir praticando! 😀

1º Escolhendo os grãos

Comece provando grãos que sejam de diferentes variedades, regiões, processos, o que quiser. Faça cada café do método como você geralmente faz e anote as características de cada um, o que te chamou atenção, o que gostou ou não. Pense em que sabores gostaria de ter no final e analise quais grãos te levariam a isso.

Por exemplo, pode ser que você queira uma bebida suave, doce, de acidez mediana e notas frutadas. Olhe em suas anotações quais são os grãos correspondentes e escolha de dois a quatro para seu blend.

2° Proporção dos grãos

Depois de eleger os grãos e fazer cada café em uma xícara, pense outra vez nas características que você quer ressaltar para montar as proporções de cada um.

Em uma xícara limpa, derrame um pouco de cada café nas medidas que está imaginando e prove o blend. Parece com o que estava pensando? Não esqueça de anotar tudo! Quais grãos usou, quantidade, método de extração.

Exemplo: duas medidas do café mais suave e frutado + uma do mais ácido + uma e meia do mais doce.

Não existe uma regra exata para fazer as proporções, a ideia é que você crie seus critérios!

3° Moagem e preparo

Depois de realizar o “teste” do tópico anterior, misture os grãos escolhidos (de acordo com suas medidas, é claro) em um pote. Depois é só usar a moagem ideal para seu método de extração preparar o café nele.

4° Experimente, avalie e melhore

A hora da prova oficial. Olhe as anotações que fez anteriormente e analise se chegou ao resultado. Deu certo? Ótimo! E se não, vá ajustando a receita. Blendar cafés em casa é isso: se desafiar, se divertir e aprender 😀

Torrefação pré ou pós blends

Se você pretende blendar em casa, é mais conveniente comprar em uma cafeteria os grãos já torrados. A não ser que você tope o desafio de torrar em casa, mas aí já é história para o outro post sobre torrefação

O dilema entre blendar antes ou depois de torrar está com quem faz café profissionalmente e é uma enorme responsabilidade, pois como os blends são únicos, cumprem papel muito importante na construção de identidade para a marca.

A grande vantagem do post-blend é que cada grão pode ser torrado de acordo com seu próprio perfil, sendo mais fácil extrair o melhor de cada um e juntar no final.

Torrar antes de blendar os grãos (pre-blend) é mais prático porque já cumpre a etapa toda de uma vez só, mas como os grão têm densidades e tamanhos diferentes, não vão torrar todos exatamente do mesmo jeito.

O que importa é que blends são experiências únicas, são o seu gosto, seu café! E é justamente esse o DNA da u.Coffee. Por isso criamos o Equalizador de Café, uma ferramenta que usa inteligência artificial para encontrar o café que tem exatamente as características que você busca.

Depois de encontrar seu café, você ainda pode personalizar a embalagem dando um nome e colocando uma foto. Ótimo para dar de presente, para divulgar sua empresa, para tomar em qualquer lugar 😀

Para inspirar seus blends e te ajudar a descobrir cada vez mais sobre a nossa bebida favorita é que existe o clube de assinatura u.Coffee: nossa equipe seleciona cafés de diversos terroirs do Brasil e envia direto para sua casa uma vez por mês. Somos apaixonados pelos cafés especiais, e estamos aqui para te ajudar a se tornar um especialista nisso!

O que você achou desse post?
  • Ótimo (3)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *