Independência do Brasil e o café: uma relação estreita

Sabemos que, há quase 200 anos, o grito de “Independência ou morte!” às margens do Rio Ipiranga, na voz de D. Pedro I, proclamou a Independência do Brasil em relação a Portugal. Mas o que nossa xícara de café tem a ver com o progresso da nação? Tudo, a Independência do Brasil e o café estão presentes no mesmo capítulo da história do país.

O então chamado “ouro verde” desencadeou um grande processo de desenvolvimento e enriquecimento do país. Vamos entender a importância do café neste período da história do Brasil?

O início

As primeiras mudas de café chegaram ao norte do Brasil, vindas da Guiana Francesa e a pedido do governador do Maranhão e Grão Pará, em meados do século XVIII. Devido às favoráveis condições climáticas, rapidamente o cultivo do café se espalhou e a produção passou a figurar o mercado doméstico.

O café passou por vários estados e, em um breve espaço de tempo, se tornou um dos principais produtos da economia brasileira. Os estado do Maranhão, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Minas Gerais receberam o cultivo. Com o grão distante do litoral, surgiu a necessidade de um meio de transporte efetivo. Trens e ferrovias começaram a auxiliar a produção cafeeira, o que também representou crescimento para o país como um todo.

Desenvolvimento nacional

O crescimento urbano foi também impulsionado pelo café. O surgimento de indústrias para atender a demanda modernizou a economia brasileira, o que motivou o desenvolvimento do sistema bancário. A mão de obra assalariada e o acúmulo de capital possibilitou o investimento em infraestrutura desses novos setores.

Com a Independência do Brasil e o café, houve a substituição da mão de obra escrava pelo trabalho assalariado. Ele  foi exercido, em sua maioria, por imigrantes. Por meio da imigração, a diversidade étnica do país também foi aumentada. Diferentes povos trouxeram consigo culturas distintas que foram integradas à sociedade e refletem até a atualidade na cultura nacional.

Riqueza

Até meados do século XX, o café se estabeleceu como a grande riqueza brasileira. Sua importância no desenvolvimento do Brasil permaneceu durante quase um século. O Brasil foi inserido nas relações internacionais de comércio por meio da nossa bebida preferida.

Durante muito tempo, o nosso crescimento foi movido pelo hábito do cafezinho. Por isso, a qualidade do nosso grão e forma de produção passou a ser reconhecida internacionalmente. O declínio da cafeicultura do Brasil se deu junto da Primeira Guerra Mundial, que prejudicou a compra de café pelos países belicosos. A Crise de 1929 também contribuiu, quando a economia foi enfraquecida.

Apesar disso, a cafeicultura nacional se reorganizou ao longo do tempo, e os mercados envolvidos com a produção de café passaram a se alimentar de esperança novamente. A busca pela região ideal  para cultivo é uma realidade e o café continua sendo, hoje, um dos produtos mais importantes do Brasil.

Vamos celebrar mais um ano de Independência com um cafezinho?

E, se deseja repassar algumas informações básicas sobre cafés especiais, confira nosso Guia para Iniciantes no Mundo dos Cafés Especiais!

O que você achou desse post?
  • Ótimo (0)
  • Útil (1)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *