Como escolher o café especial ideal para o meu gosto?

Café Especial

Um café assim como qualquer alimento pode parecer algo simples e normal em nosso dia a dia, porém existem particularidades que podem influenciar tanto no aspecto cultural quanto na maneira que nos comportamos em cada situação.

Hoje no Brasil existem quatro tipos de classificação de cafés:

  • Tradicional;
  • Superior;
  • Especial.

As duas espécies mais utilizadas são:

  • Arábica que possui mais aroma e sabor;
  • Robusta que é o café que normalmente consumimos no dia a dia.

Para escolhermos um café especial é importante entender que para um café ser especial ele deve:

  • Ser 100% Arábica;
  • Ter origem controlada;
  • Possuir um controle de qualidade e armazenagem que registrem temperatura, umidade e níveis de defeito;
  • Não possuir defeito.

Neste instante você pode estar se perguntando o que significa um café sem defeito?

Então, um café sem defeito é aquele onde não apareçam grãos quebrados, ardido, concha, brocado, preto, pau, verde ou casca.

Outro ponto importante para se conhecer é o processo de torra, que nada mais é do que o processo de calor que transforma o café verde em torrado. É neste momento em que intensificamos os aromas, grau de acidez, amargor e ao corpo.

Por exemplo, quanto mais torrado e escuro, menos aroma e sabor amargo percebemos no café.

Agora vamos para uma situação do dia a dia, um café especial deve possuir uma leve doçura sendo agradável tomá-lo com pouco ou até mesmo sem açúcar, pois apresenta um sabor e aroma único. Agora se no dia a dia estamos tomando aquele café que é necessário colheres e colheres de açúcar ou adoçantes para conseguir ingerir, infelizmente a qualidade está fora de um padrão, digamos, aceitável ao seu paladar.

Alguns pontos importantes para escolher um café de qualidade é observando as suas características que são:

  • Aroma percepção olfativa causada pelos gases liberados do café torrado e moído;
  • Sabor – é a soma dos gostos com os aromas do café;
  • Doçura – qualidade ou gosto doce do café;
  • Acidez – é o sabor seco e marcante que dá vida ao café;
  • Corpo – sensação causada na boca pela persistência no paladar, café ‘viscoso’ ou ‘pesado’, uma bebida encorpada;
  • Sabor Residual – é a sensação percebida após o café ser tomado, característica marcante.

Agora, o que é muito importante para você escolher, comprar e preparar um bom café é estar atento às seguintes informações:

  • Verificar na embalagem a informação 100% arábica;
  • Ficar atento ao nome do produtor daquele café;
  • Inspecionar na embalagem a existência de válvula para liberação de ar;
  • Comprar em fornecedores e distribuidores especializados em café especial;
  • Atenção com a data de fabricação (ideal consumir o café em até 90 dias após a torra).

O consumidor está disposto a aprender e conhecer mais sobre cafés e buscar degustar sabores especiais. É notável que o aumento de cafeterias que servem café especial e gourmet tem relação a essa mudança de comportamento, o que antes era somente tomar um cafezinho no barzinho ou na padaria agora tomou contornos mais exigentes e estabelecendo ao consumidor uma relação mais emocional e relacionada à sua personalidade.

O café especial e suas variações de sabores e aromas chamam a atenção do consumidor por uma série de fatores, como embalagem e qualidade, por exemplo, o que estabeleceu um padrão de consumo muito mais exigente no mercado.

Mas a pergunta que fica é como escolher o café especial ideal para o gosto de cada consumidor? Quais fatores devem ser levados em consideração? O café ideal reflete aspectos de nossa personalidade?

Aspectos para escolha do meu café especial

É importante antes de tudo definir qual será o método de preparo do café, que pode ser:

  • Prensa Francesa – Água e pó são misturados e uma haste é comprimida. Aroma e sabor ressaltados.
  • Cafeteira – A água aquecida passa pelo café, na parte superior, e resulta numa bebida concentrada.
  • Aeropress – Método de pressão no qual o ar empurra a água contra o pó e gera bebida complexa em sabor e aroma.
  • Ibirik – Panela recebe água e café moído para fervura, sem filtragem. Técnica turca que usa condimentos.
  • Soft Brew – Café e água são misturados na jarra, na qual um filtro interno extrai uma bebida leve.
  • Espresso – Água passa por pressão na máquina e deixa a bebida concentrada e cremosa.
  • Coador – Método mais usado pelos brasileiros, no qual bebida é passada por um pano.
  • Chemex – Filtro de papel apoiado sobre jarra de vidro produz uma bebida aromática.
  • Hario v60 – Coador japonês popular no Brasil. Usa filtro de papel e gera café aromático.
  • Sifão – Água ferve na parte de baixo, se mistura com o café na parte superior e retorna.

Seu gosto, seu café!

Outro fator muito interessante destacado no Reino Unido pelo psicólogo Ramani Durvasula, através de uma pesquisa, demonstrou que cada bebida reflete em aspectos importantes da personalidade:

  • As pessoas que preferem capuccino tendem a ser mais obsessivas e controladoras;
  • Aquelas que preferem o café com leite costumam gostar de ajudar os outros, mas apresentam alguns traços como introversão, extroversão, paciência, perfeccionismo, sensibilidade e ousadia.
  • As que preferem um café preto puro são as pessoas simples e práticas, podem ser quietas e com um humor com algumas variações.
  • Apreciadores de café instantâneo tem tendência à procrastinação.
  • Pessoas que gostam de cafés doces, como frapuccinos, são descritos na pesquisa como indivíduos ousados, e foram classificados com o termo “jovens de coração”.
  • Quem gosta de café descafeinado é classificado como  perfeccionista e controlador.
  • E por fim, aquelas que gostam de café com espuma são as detalhistas e obsessivas.

Mesmo sabendo destas curiosidades trazidas pela pesquisa você pode estar se perguntando, não me enquadro em nenhum desses perfis, e agora? Não fique preocupado, independente de sua personalidade você tem uma gama enorme de cafés para experimentar e encontrar o seu preferido.

Se tratando de um bom amante de café especial é imprescindível conhecer a sua procedência (a sua origem), forma de armazenagem (embalagem), a forma de preparo e, por fim, o tipo de café.

Mas se você ainda não tem uma preferência quanto a um café especial ideal para o seu gosto, independente da personalidade ou ocasião, é bom experimentar e apreciar e com isso definir os atributos que lhe agradem.

Um dado interessante é a preferência do café em cada região do país, onde podemos notar que a escolha do café ideal passa por aspectos culturais, climáticos, entre outros. Veja abaixo um resumo de uma reportagem da Gazeta do Povo que relaciona as características dos cafés por região no Brasil:

Sul de Minas – O sabor é um equilíbrio entre acidez e corpo.

Cerrado Mineiro – são adocicados, lembrando mel, chocolate e caramelo. Os grãos da região dão origem a bebidas encorpadas que deixam na boca o gosto de caramelo.

Norte de São Paulo – os florais também sobressaem.

Bahia – O sabor é marcado pela acidez e por um corpo médio.

Norte do Paraná – De doçura moderada, os grãos do Norte do Paraná tem um aroma com toque de cacau. O sabor é de acidez moderada.

Agora que chegou ao final da leitura você pode querer saber ainda mais sobre café especial e como perceber se os que está consumindo tem uma qualidade e um cuidado especial. A resposta é simples: busque saber a procedência e informações como aroma, acidez, corpo entre outros. Os produtores de cafés especiais sempre vão descrever o produto para os amantes de um bom café.

Assim como a vida um bom café que combine com seu gosto ideal somente será encontrado através de experiências!

O que você achou desse post?
  • Ótimo (5)
  • Útil (1)
  • Poderia ter mais informações (1)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *