Pode entrar: aqui tem café especial!

Circuito de Cafeterias

O circuito gastronômico de BH já conta com cafeterias especializadas em servir a melhor experiência de xícara do mercado. E tem levado cada vez mais o público a conhecer novas possibilidades de consumir a bebida, de forma personalizada.

Sim, casas pioneiras como a Academia do Café ou de tom cool como a Intelligenza contam com a oferta de grãos selecionados e equipes treinadas em oferecer e preparar a bebida de acordo com o perfil de cada paladar.

O resultado, primeiramente, é a proposição de uma outra relação com o café, em experiências apaixonantes, envolventes. Quem já frequenta ou conhece algo do universo do café especial – ainda de 5% a 10% dos consumidores da bebida, número que aponta para o grande potencial desse mercado; -, empreende jornada que supera expectativas. E conhece informações fascinantes sobre a origem e a rastreabilidade da cadeia produtiva dessa bebida tão antiga e consumida no mundo todo, num movimento de valorização do produto artesanal e de ideias como o slow food e o slow coffee. Ganha, ainda, na qualidade superior e nos benefícios para a saúde.

Atendimento

“Quando o local oferece um atendimento personalizado, diversos grãos e métodos de preparo, a experiência com o café é diferente, e mais completa. Na Academia do Café, por exemplo, sempre perguntamos para a pessoa qual o estilo de café que ela gostaria de tomar. A partir do interesse e abertura, da curiosidade de cada um, falamos sobre os cafés especiais de forma mais detalhada”, descreve Júlia Fortini Souza, barista, Q-Grader e sócia da Academia do Café.

Uma das pioneiras, senão a primeira casa da capital mineira a apostar no café como vitrine e produto principal, a marca Academia do Café existe desde 2011 e também oferece aprendizado na área, com cursos de Classificação, Degustação e de Barista. E isso tudo por que o knowhow da família na área é antigo, como conta Júlia, quinta geração dos Souza na lida com o café.

“Além da fazenda estar na família há muito tempo, moramos 9 anos em Oregon/EUA. Meus pais, Bruno e Débora Souza, se mudaram para os Estados Unidos pois queriam mostrar a qualidade dos cafés brasileiros no exterior. Lá, fundaram a Brazilian Estade Coffee Corporation (BECCOR), uma importadora desses cafés. E passaram a conviver no mercado internacional de cafés especiais com baristas, as melhores e maiores torrefações dos EUA, com competidores”, contextualiza.

Ela segue, e diz que o pai, Bruno, decidiu trazer essa expertise para o país natal. “Em dado momento, ele sentiu que o mercado de cafés especiais do Brasil ainda era incipiente, escasso, e poderia melhorar. Havia chegado a hora de voltar e montar a Academia do Café”.

“Quando abrimos, éramos a única cafeteria com uma proposta diferente. As pessoas ainda não sabiam o que era café de verdade, e muitas não estavam curiosas. Mas, aos poucos, foram ficando mais interessadas na qualidade e na rastreabilidade do produto. Apostamos nessa ideia desde o início pois nosso objetivo era e é mostrar a qualidade do nosso café e ajudar a difundir a cultura do café especial, promover o grão de qualidade e educar o consumidor para esse universo”.

A Academia trabalha com cafés de várias origens. “O principal é o da nossa fazenda – Fazenda Esperança, Campos Altos (Cerrado)/MG. Meu pai produz esse café com muita paixão, conhecimento e experiência de anos e anos. Também oferecemos cafés de outros produtores, com origem no Cerrado (Café do Renato), na Chapada Diamantina (Café do Téo), na Serra da Canastra (Café do Pedro) e em Matas de Minas (Café do Afonso).” A especialista informa ainda que são oferecidos vários métodos de extração para que o cliente tenha um experiência personalizada de acordo com o gosto pessoal.

Ponto de encontro

Também a Intelligenza, aberta em 2016, vem ajudando a formar público e caiu na graça dos coffee lovers belo-horizontinos. “O que nos inspirou foi o fato de cafés serem ambientes positivos e sociais. A partir dessa ideia inicial nos especializamos em cafés de qualidade superior”, cita Henrique Fiuza Guimarães, um dos sócios.

Desde então, o espaço oferece experiências completas em cafés e chás especiais. “Nosso diferencial é contar com uma equipe de baristas formados, especializados na área. Assim, possuímos domínio do nosso produto para informar e prestar atendimento personalizado tanto aos coffee lovers quanto ao público leigo, que está descobrindo o café de qualidade superior”.

Em dias de semana, profissionais liberais, amigos, moçada e executivos frequentam a cafeteria que trabalha com cerca de dez grãos de diferentes produtores, principalmente mineiros das regiões Sul de Minas e Mantiqueira. A torra é realizada diariamente para oferecer uma experiência de xícara com o máximo de frescor. “Praticamos torra média ou média clara para evitar o amargor e salientar as notas dos cafés, instigando o público a provar o verdadeiro sabor da bebida”.

Café com bolo

Outra casa que aposta na bebida de qualidade é a Intuição Bolo e Café. Inaugurada em 2009, a cafeteria funciona em uma loja que existe há 75 anos, no bairro Floresta, e oferece os cafés Infinito (Canastra Coffees), Orfeu (Fazenda Sertãozinho), Fazenda Pessegueiro e Mundo Café (Fazenda Barinas), trabalhados em torra média e média escura, além de bolos de fabricação própria (uma receita de sucesso é o de laranja com sementes de papoula).

Sócia do negócio, Maria Cristina afirma que o bom café surpreende o público leigo, que passa a saber mais da bebida por meio do atendimento profissional e personalizado, papel desempenhado pelo barista. “É ele que orienta o consumidor sobre dados do grão, tipo de torra e método de preparo, promove uma experiência mais completa e satisfatória”.

Cultura em expansão

Cristina lembra que o estado de Minas Gerais é o maior produtor de café do país; como reflexo, a capital vem se firmando como celeiro de cafeterias e vitrine de produtores. “Mas o principal público da cafeteria é formado por pessoas que trabalham na região e que amam a combinação bolo e café”. Para quem ainda não conhece o café especial, ela deixa um convite.: “Vale muito a pena pela oportunidade de usufruir de uma bebida maravilhosa e de qualidade, para conhecer a riqueza de propriedades de um bom café”.

Saiba mais: Por que vale a pena conhecer o café especial?

“Primeiro por que a qualidade da bebida final de um café especial bem torrado é indiscutível! O sabor é diferenciado, além de ser um café ‘puro’, ao contrário dos comerciais, que são compostos praticamente por ‘restos’ do café especial e impurezas, colocando em dúvida os elementos que foram moídos ali. Em segundo lugar, devido à rastreabilidade do produto, informações de procedência, dados sobre o produtor, o processo de colheita, a região, etc, num processo de transparência que valoriza toda a cadeia produtiva do café e garante a qualidade da bebida para o consumidor final”.

Projeções

Já Henrique, em segundo lugar, reforça que a cultura em torno do café especial ainda tem muito a crescer, e a ser descoberta pelo consumidor. “O público que conhece café especial fica em torno de 5% a 10% dos consumidores da bebida. A cena de café especial na cidade é praticamente inexistente. Possuímos, no máximo, dez casas que tratam bem a bebida. Mas o crescimento está em curso, virá com o tempo”.

Na Intelligenza, os cafés mais pedidos são os coados e o espresso. O público frequente, conta ele, é formado por consumidores que tem a qualidade como critério de consumo. A tendência, no entanto, é que venha por aí mais gente afim de surfar na terceira onda do café, movimento que celebra a bebida de qualidade superior, para descobrir novas possibilidades e relações com o produto.  “ Não há comparação entre um café especial e um regular. Trata-se de uma bebida muito superior ao ‘café de supermercado’. Mais saudável e mais saborosa.”

Júlia fecha com uma análise otimista. “Hoje, já existem muitas cafeterias que fazem um ótimo trabalho em BH e isso faz com que cada vez mais pessoas conheçam sobre a origem e a qualidade dos cafés especiais, os tipos de torra, os métodos de extração e tenham acesso a experiências sensacionais, completas, personalizadas. Mas ainda temos um longo caminho pela frente!”

Onde encontrar:

Academia do Café Funcionários

Rua Grão Pará, 1.024, Bairro Funcionários. Funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h; aos sábados, das 10h às 18h e aos domingos, das 11h às 18h.

Academia do Café Savassi

Rua Antônio de Albuquerque, 749, Savassi. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 19h30 e aos sábados, das 10h às 18h.

Intelligenza

Rua Paraíba, 966/loja 12, Savassi. Funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h; aos sábados e domingos, das 10h às 18h.

Intuição Bolo e Café

Rua Itajubá, 350, no interior da Casa Eure. Funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

O que você achou desse post?
  • Ótimo (0)
  • Útil (0)
  • Poderia ter mais informações (0)

Você também pode gostar desses posts:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *